A UnB foi selecionada na Chamada Pública para Seleção de Redes para o Aprimoramento do Ensino de Ciências na Educação Básica resultado da parceria entre o DEG, o DPI e a Secretaria de Educação do Distrito Federal, a Rede Estadual Integrada de Ciências na Escola: DF e Entorno (REINTEC) foi o projeto da UnB selecionado pela Chamada Pública para Seleção de Redes para o Aprimoramento do Ensino de Ciências na Educação Básica (MEC/MCTI). A construção do Projeto envolveu cerca de 30 professores da UnB de várias áreas do conhecimento, além de professores do Instituto Federal de Brasília (IFB).

 

A REINTEC, que será coordenada pelo professor Delano Silva, do IB/UnB, abrange 10 subprojetos elaborados pelos professores participantes e tem como objetivo democratizar o conhecimento, popularizar a ciência e fortalecer a interação entre escolas de educação básica do DF e entorno e UnB. Ao final do projeto, espera-se impactar, direta e indiretamente, cerca de 400 mil alunos de Ensino Fundamental e Ensino Médio e a maioria dos 22.000 professores ligados às áreas de ciências na educação básica do Distrito Federal e Entorno.

A Rede foi contemplada com 3 milhões e meio de reais para o financiamento de todas as atividades previstas. Esse investimento, fruto do esforço em prol da busca de recursos alternativos para o financiamento de atividades de pesquisa e ensino no âmbito da graduação, impactará diretamente não só a comunidade interna da UnB, mas em larga escala, a comunidade externa, reforçando o potencial da Universidade em melhorar a comunidade em que está inserida.

Em todos os subprojetos, há a preocupação com os processos formativos de professores, considerando que eles, como mediadores do processo de aprendizagem, precisam estar atualizados quanto às novas metodologias de ensino e aos diferentes aspectos da aprendizagem.

Todos os subprojetos são compostos por professores da UnB, do IF e por professores das escolas da educação básica (do DF ou do Entorno), esses últimos já foram contatados para comporem as equipes dos projetos. A previsão é que sejam atendidas no mínimo 100 escolas durante a vigência do projeto, mas com a potencial para expansão para mais escolas da rede do DF e Entorno.

Confira os subprojetos que compõem a REINTEC:

 

NEUROIN (Coordenadora: Profa. Dra. Márcia Renata Mortari – UnB)

Serão realizados ciclo de palestras com a participação de profissionais renomados no âmbito local e nacional, enfatizando a abordagem dos temas abordados pelo projeto a fim de ressaltar sua relevância e discussão na atualidade. Além disso, todo ano contamos com a execução da oficina “Modelando o Neurônio”. Vale-se ressaltar que se trata de um evento gratuito, onde ao final serão emitidos certificados de participação. Esses certificados são oficiais da Universidade de Brasília e poderão ser contabilizados como horas complementares.

Para todos os níveis de escolaridade serão disponibilizados materiais didáticos para os educadores e familiares, assim como livretos para os estudantes. O projeto contemplará palestras e consultorias especializadas, com suporte contínuo.

Será ofertado um curso de formação EaD (80h) para educadores, que será disponibilizado para toda a rede de ensino do DF e escolas do entorno. Além disso, a proposta prevê o desenvolvimento de atividades sobre o funcionamento do sistema nervoso baseadas em metodologias lúdicas, games de realidade aumentada e aulas.

 

A coleção vai à escola (Coordenadora: Profa. Dra. Julia Klaczko – UnB)

Os espécimes para as coleções didáticas serão obtidos junto ao Centro de Triagem do IBAMA (CETAS) e ao ICMBio, com os quais já foram estabelecidos contatos prévios. Serão utilizados apenas animais que morreram atropelados ou que já chegaram mortos depois de ação fiscalizatória do IBAMA. Os exemplares serão triados, identificados, fixados em formol 10%, e armazenados em álcool 70%. Os espécimes serão tratados de acordo com seu estágio de preservação, técnica de conservação e estruturas a serem destacadas.

Modelos de crânios e de órgãos serão impressos em impressora 3D, para os quais serão utilizadas reconstruções de tomografias computadorizadas de alta resolução de diversos grupos de vertebrados, visando a confecção da peça final. As tomografias que serão utilizadas, fazem parte do banco de dados produzido pelas pesquisas do Laboratório de Anatomia Comparativa de Vertebrados, IB/UnB (LACV).

De modo a facilitar a identificação de estruturas constituintes das peças, os modelos serão impressos em tamanho maior que o tamanho original, garantindo ao aluno seu estudo e manipulação, promovendo assim um ensino prático e aplicado que inclui alunos com deficiência visual.

Serão elaborados diferentes roteiros de aula prática que poderão ser utilizados pelos professores em sala de aula. Os roteiros tratarão dos diferentes tópicos a serem estudados segundo o currículo da educação básica, especificamente pensados para cada série escolar, de acordo com sugestões de professores. Os roteiros terão como premissa básica trabalhar diferentes habilidades do estudante, como desenho, solução de problemas, capacidade de escrita de textos, e pensamento científico de formulação de hipóteses, teste e escrita dos resultados. Serão disponibilizadas também atividades on-line, utilizando a ferramenta G Suite for Education (que já apresenta parceria com a Secretaria de Educação do Distrito Federal), com atividades diversas que os alunos podem executar nos computadores, a partir do material estudado.

Serão produzidos vídeos de apoio e capacitação dos professores que abordarão metodologias inovadoras para aulas práticas e atividades dirigidas a fim de aprimorar o letramento científico dos estudantes de ensino básico.

 

Desenvolvimento Ferramentas Inovadoras para o Ensino Fundamental e Médio Baseadas em Problemas de Engenharia (Coordenador Prof. Dr. Rodrigo de Melo Lameiras – UnB)

Inicialmente serão realizadas reuniões com os professores das escolas de ensino médio e fundamental afim de definir os tópicos a serem contemplados com o conteúdo digital e práticas de laboratório que serão desenvolvidas. Os vídeos e jogos digitais a serem elaborados serão desenvolvidos por um mestrando juntamente com dois alunos de Iniciação Científica. Posteriormente, será elaborado o roteiro a ser seguido, desenvolvendo as práticas de laboratório para enfatizar e ilustrar o conteúdo teórico a ser abordado. Posteriormente, os vídeos serão gravados e os jogos elaborados com a ajuda de um profissional de nível superior e de um profissional de nível técnico. Serão feitas oficinas de forma a se estudar, debater e avaliar quais estratégias de ensino serão utilizadas. Finalmente serão realizadas visitas nas escolas e visitas nos laboratórios da UnB para aplicar, supervisionar o roteiro de ensino desenvolvido, avaliando-se os resultados com o intuito de aprimorar a metodologia de ensino, visando generalizá-la para demais conteúdos das disciplinas de física e matemática.

 

Gramaticoteca (Coordenadora Prof. Eloisa Nascimento Silva Pilati – UnB)

O projeto Gramaticoteca tem o objetivo apresentar aos alunos os benefícios de compreender as línguas naturais por meio dessa nova perspectiva, promovendo também a alfabetização científica dos estudantes por meio da construção de experimentos para abordagem dos fenômenos linguísticos. Como se trata de um processo de alfabetização científica feita no âmbito da linguística, voltada para a educação básica, a opção metodológica se baseia nos princípios do pensamento científico e em técnicas de aprendizagem ativa, tais como problem solving, mão na massa, aprendizagem por descoberta, entre outras. A expectativa é que o conhecimento desenvolvido nesse processo didático-pedagógico propicie, por um lado, o desenvolvimento do raciocínio inferencial e a alfabetização científica, por outro, o desenvolvimento de um conjunto de materiais replicáveis composto por jogos, espaços de investigação e experimentação que propiciem a aprendizagem ativa, a criatividade e a inovação.

Durante a duração do projeto, os pesquisadores atuação em uma das Regionais de Ensino da SEEDF, a fim de poder atender o maior número de escolas na região. No início de cada semestre serão feitas reuniões para planejamento do calendário de atividades, organizado em três momentos: reunião com professores e alunos e discussão dos temas a serem estudados, especificação do calendário de reuniões de atividades, divisão de tarefas. Na segunda etapa, serão desenvolvidas atividades pedagógicas oficinas e palestras para que os professores e demais participantes possam compreender as concepções da linguística moderna relacionadas à organização das línguas na mente humana, e para que compreendam de que forma esses novos conhecimentos podem ser úteis aos professores e estudantes da educação básica. Na terceira etapa, para promover a transferência de tecnologia educacional de forma inovadora e criativa, professores e alunos das escolas envolvidas serão convidados a elaborar materiais para compor Gramaticoteca. De forma conjunta e coletiva serão elaborados jogos, simulações, maquetes, material paradidático multimídia, entre outros, orientados para temas gramaticais relevantes para a educação básica. Em um terceiro momento, haverá a exposição da Gramaticoteca em escolas, universidade e institutos federais envolvidos. Por fim, serão avaliados os impactos das atividades propostas e executadas.

 

Narrativas (Coordenador Prof. Dr. Domingos Coelho – UnB)

Essa proposta está estruturada em quatro momentos:

Pré-Produção: Inicialmente, estudantes, familiares e professores voluntários das escolas receberão oficina de 40 horas de preparação de atores para poderem atuar como atores protagonistas na websérie. A seguir, professores e estudantes receberam oficina de 30 horas de preparação de roteiro na qual irão iniciar a produção da narrativa interdisciplinar que aborda conteúdos de ciências contextualizado para a região rural em que se encontram. Na terceira etapa, estudantes e professores irão definir quais personagens live action e quais serão os personagens de animação, argumento e estrutura do roteiro da websérie com auxílio de bolsistas do curso de audiovisual ou áreas afins. Início da criação coletiva dos personagens de animação com interação com a equipe de animação.

Produção: Na quarta etapa terá início o processo de filmagem da websérie com locação nas escolas e, paralelamente, a edição e montagem dos episódios. Nesta etapa serão selecionados estudantes bolsistas de ensino médio para oficina de edição e montagem e, a seguir, trabalhar na pós-produção.

Pós-Produção: Após a finalização de produção de cada episódio de 4 minutos será realizado processo de edição, montagem (animação e live action), sonorização, música e vinhetas.  

Exibição: Após a finalização da websérie será realizado o registro na ANCINE e campanha para divulgação do produto nas redes sociais. A seguir, TVs públicas serão contatadas para inclusão da websérie em sua programação (por exemplo, na categoria de interprograma). Episódios serão selecionados para exibição nas mídias sociais e em festivais.

 

Ensino de ciências e tecnologias: formação de professores na perspectiva do letramento científico e digital (Coordenador: Prof. Dr. Thiago Batista Amorim – IFB)

A presente proposta pretende desenvolver sequências didáticas e projetos interdisciplinares com foco em metodologias ativas, explorando aulas práticas, oficinas e propondo também feiras regulares em escolas públicas.

Assim, têm-se os licenciandos dos cursos de Biologia, Computação e Física sendo formados em uma perspectiva de ensino de ciências pautada no letramento científico como prática social e com foco no uso de metodologias ativas e participativas, bem como no ensino por investigação. Esses licenciandos, juntamente com os professores do IFB, serão responsáveis pelas ações de intervenção nas escolas. Professores das escolas de educação básica, por meio dessas ações de intervenção – oficinas, elaboração coletiva e colaborativa de sequências didáticas -, serão motivados a pensarem em projetos interdisciplinares para serem desenvolvidos com os estudantes das escolas, os quais também receberiam orientação dos licenciandos. Os produtos dessas ações serão apresentados em feiras de ciência promovidas nas escolas.

 

Ensino de Ciências em contextos de diversidade (Coordenador: Delano M. S. da Silva - UnB)

A metodologia que orienta esta proposta é a metodologia qualitativa interventiva, para a qual prevemos três delineamentos possíveis: pesquisa ação, pesquisa participante e pesquisa colaborativa. A seguir descrevemos o método para alcançarmos as metas propostas.

Inicialmente será criado um sistema de organização, catalogação e empréstimo de materiais e recursos entre as unidades envolvidas. Esses espaços serão organizados para discussão e estudos sobre a BNCC e o Ensino de Ciência por Investigação (ENCI) convidando professores das escolas parceiras, alunos das licenciaturas e demais pessoas que queiram conhecer as propostas presentes na BNCC e aspectos importantes sobre o ENCI. A partir desses eventos de discussão, promoveremos ao final do segundo ano de projeto um seminário local (contemplando as escolas e professores parceiros do projeto) para discussão sobre a implementação da BNCC nas escolas, dificuldades e avanços, boas práticas, ENCI dentre outros aspectos do ensino de ciências e prática docente.

A partir de parcerias já estabelecidas através dos estágios supervisionados de ensino, PIBID, Residência Pedadógica, mestrado profissional no ensino de Biologia (PROFBio) e atividades de extensão poderemos convidar os professores a participar dos eventos de discussão e do seminário local, estreitando assim as relações entre as instituições, o que possibilitará a inserção de membros do projeto nas escolas para a participação dos momentos de coordenação. Essa ação poderá ajudar a constituir grupos de formação colaborativos entre as instituições.

Com a constituição dos grupos colaborativos e da melhor compreensão sobre a BNCC e ENCI, a produção de recursos didáticos surgirá como uma demanda do próprio grupo. Sendo que esta ação pode ser feita tanto nos espaços laboratoriais como nos momentos de coordenação da escola (desejável).

Nos grupos de estudo e formação também será discutida a prática docente em contextos educativos diferenciados e pouco contemplados na formação inicial (como salas de recursos, classes hospitalares, unidades socioeducativas dentre outros). A partir do compartilhamento de experiências dos diversos contextos educativos que os professores estão inseridos, serão promovidas oficinas específicas para que forma colaborativa sejam pensadas estratégias pedagógicas e recursos didáticos para esses diversos contextos negligenciados.

 

Robótica educacional como estratégia para o ensino de Matemática e Ciências da Natureza (Coordenador: Prof. Dr. Paulo Percio Mota Magro – IFB)

A primeira etapa do projeto envolve a aquisição dos materiais de consumo para o Laboratório de Robótica do campus Ceilândia do Instituto Federal de Brasília, campus Ceilândia. Concomitante à aquisição de materiais, serão realizadas as primeiras reuniões com todos os professores e pesquisadores envolvidos no projeto, a fim de reforçar o diálogo e aumentar a interdisciplinaridade das atividades propostas. Nessas reuniões, serão formadas equipes multidisciplinares para a atuação nas diferentes frentes do projeto.

As atividades previstas no projeto serão feitas em grupos, orientados por professores, estimulando-se a criação de um ambiente de diálogo, interação e colaboração. Inicialmente, o intuito é criar pequenos roteiros, cada um com um projeto simples e de baixo custo, contendo diversos conceitos de disciplinas como física, matemática, ciências, tecnologia, robótica e artes. A partir do roteiro, o aluno pode explorar os conteúdos interdisciplinares tornando o aprendizado um processo mais natural.

No 3º e 4º semestre de execução do projeto, serão ofertados pelo menos dois cursos sobre os ambientes de desenvolvimento Arduino e LEGO no Laboratório de Informática do Instituto Federal de Brasília, campus Ceilândia, para estudantes e professores de escolas públicas do Distrito Federal.

Como etapas para a promoção da divulgação científica e popularização da Ciência e Tecnologia, este projeto prevê a oferta de oficinas e mostras de projetos e materiais didáticos durante os eventos científico-culturais do IFB, como o ConectaIF e o CEINEPE (Ceilândia Integrando Ensino, Pesquisa e Extensão), sendo o primeiro de abrangência nacional e o segundo, local.

 

GAHOLI (Coordenadora: Profa. Dra. Vanesa Rios Milagres – IFB)

Projeto fundamentado no Ensino Baseado em Competências, Aprendizagem Baseada em Projetos, Pesquisa-Ação/Ciência-Ação, Project Model Canvas PMBok®, STEAM, Desenho Instrucional ADDIE e outras metodologias que garantam o desenvolvimento sistêmico das atividades, coerente e adequado à intervenção pretendida no letramento científico de alunos, professores e técnicos do IFB/CRFI e de escolas públicas do DF. Semestre 1, modelagem de 12 cursos de formação inicial e continuada [FIC]. Semestre 1, 2 e 3, teste das interfaces RV/RA com teste de experimentos científicos em ambiente virtual nas áreas de Linguagens, Matemática, Ciências Naturais, Ciências Humanas e Ciências Sociais Aplicadas. Semestre 2 e 3 oferta dos FICs [01 introdutório e 11 temáticos], denominados GAHOLI Experimentos Científicos Virtuais. Chamada pública com Edital próprio, publicado no www.ifb.edu.br, para professores, alunos e técnicos do IFB/CRFI e das escolas públicas do DF, inscrição gratuita e certificado de conclusão, com 20 vagas e oferta mínima de 01 turma por FIC, podendo chegar a 5 turmas por FIC, a depender demanda/capacidade.

Avaliação do ciclo de ensino e de aprendizagem em 04 níveis: 1) Reações dos participantes - ficha de avaliação; 2) Aprendizagem - pré-teste, observações e feedbacks com base na ação e de pós-teste; 3) Transferência - entrevistas pessoais e/ou grupos focais; e 4) Resultados - verificação do aumento ou melhora na performance, constatando se o nível de letramento foi aumentado e/ou acelerado. O conjunto destas possibilitará e representará a eficiência e eficácia do projeto. As bolsas serão usadas como incentivo à pesquisa, produção de conhecimento e inovação: 40 EXP-C [24 coordenadores e 01 por professor de FIC], 08 AT-NS [01 mensal técnico em assuntos educacionais], 08 AT-NM [01 mensal técnico em assuntos administrativos], 50 IC [24 alunos de licenciatura e 26 alunos de tecnologia], 50 ICJ [aluno de curso técnico integrado ao ensino médio].

 

Experimentação (Coordenadora: Profa. Dra. Erondina Azevedo – UnB)

A Iniciação à Ciência se constitui em núcleo central da educação científica, sendo que as ações de educação, divulgação e popularização da ciência e tecnologia devem se organizar estimulando a curiosidade e o espírito de investigação dos participantes. A metodologia aqui adotada estará centrada no desenvolvimento de atividades construídas em quatro momentos, a saber: 1- Enquanto a unidade Móvel estiver na escola será oferecido um curso para os professores que envolverá, além da apresentação do projeto, palestras e oficinas ofertados pela equipe proponente deste projeto. Nesse curso serão apresentadas, principalmente: metodologias de ensino que contribuam para aprimorar o ensino e a aprendizagem de ciências e que incentivam o uso de novas tecnologias nas escolas; pesquisas atuais desenvolvidas na UnB e que estão associadas ao desenvolvimento sustentável, nesse curso os professores serão incentivados a elaborarem propostas de ensino a serem desenvolvidas posteriormente com os seus alunos. 2- Acompanhar os professores no fechamento de suas propostas de ensino por investigação e em sua implementação com vistas de auxiliá-los e, também, de investigar as potencialidades e dificuldades enfrentadas pelos mesmos nesse processo. Esse acompanhamento posterior será realizado pelo Grupo Proponente deste entre junho de 2020 e julho de 2021. Esses encontros acontecerão nas dependências da universidade e/ou nas escolas onde os professores atuam. 3. Realização de um evento em que os professores, acompanhados de seus alunos, apresentarão as propostas investigativas desenvolvidas. Esse evento seguirá os moldes de um congresso científico, com envio de resumos e apresentação oral e em pôster das pesquisas realizadas. Com essa ação pretende-se, além de divulgar as ações do projeto junto à comunidade do Distrito Federal, vem para estimular o interesse dos alunos (bolsista de ICJ e IC) pela carreira científica e identificar jovens talentos para a ciência.  4.Confecção de um e-book com o projeto desenvolvido, incluindo o material didático elaborado pelos professores e relatos das experiências desenvolvidas. Esse material também estará disponível em website.

Para ler o edital da Chamada Pública, acesse: https://www.ciencianaescola.gov.br/app/ciencianaescola/sobreoprograma